segunda-feira, 1 de junho de 2009

IMAGENS DA OBRA - PARTE 01





Nenhum comentário:

Postar um comentário

VIVA A NOVA IGREJA!

*Texto: Oswaldo Guimarães

Dia 13 de abril de 2009. Segunda-feira, mutirão do padrinho Sebastião na Vila Céu do Mapiá. Na radiante manhã deste dia o Padrinho Alfredo Gregório de Melo deu início à construção da nova sede mundial da Igreja do Culto Eclético da Fluente Luz Universal Sebastião Mota de Melo. Acompanhado por trabalhadores e curiosos ele marcou a área onde será erguido um templo para abrigar mil pessoas bailando em mil metros quadrados.
A concepção da obra, uma estrela com 66 metros entre uma ponta e outra, om base e coluna em concreto armado e estrutura do telhado em madeira, é do Padrinho Alfredo, com apoio técnico e maquete de Silvio Galvão e cálculo estrutural e construção de Paulo Ramires, sócios no ateliê Fábrica de Arte, em São Paulo. Para tanto serão usados 40m³ de areia, 30m³ de pedra, 400 sacos de cimento, 3 toneladas de ferro e 300 toneladas de madeira. Cerca de 25% deste material já está no pé da obra.
Nesta primeira etapa, prevista para 30 dias, após a preparação do terreno, limpeza, nivelamento e marcação da área está sendo feita a escavação das valas para a construção do baldrame e as obras de início dos pilares. Além do reforço do mutirão são oito homens trabalhando diariamente no local.
Com o início da grande obra o Padrinho Alfredo está lançando também uma mensagem especial a toda a irmandade. Acompanhe no site do idacefluris.org.br em palavras do próprio Padrinho Alfredo.

O CÉU DO MAPIÁ

A vila Céu do Mapiá, fundada em 1983, está situada nas cabeceiras do Igarapé Mapiá, a 30 km do Rio Purus, numa das áreas mais preservadas da Amazônia ocidental brasileira.
Em 1990, com a aprovação da comunidade, o governo brasileiro criou a Floresta Nacional Purus numa área de 250.000 ha, tendo a vila do Céu do Mapiá como uma espécie de capital.

Vista aérea da VIla, com a Igreja ao centro - 2002

SOCIAL

O Céu do Mapiá é hoje um exemplo de assentamento e uma referência de trabalho sócio-ambiental na região amazônica, apresentando melhor qualidade de vida, de saúde e educação. Desenvolve agricultura ecológica e importante pesquisa com plantas medicinais, mantém oficinas de artesanato e muitas outras atividades, além de incentivar as raízes da cultura amazônica.

Casa da Família Mota de Melo, nos primeiros tempos da vila

A mesma casa nos dias de hoje, transformada em pousada

Escola Cruzeiro do Sul em dia de Festa - 2006

A Casa de Ofícios

O SANTO DAIME E A FLORESTA

A harmonia com o meio ambiente, preservando a natureza e sua bio-diversidade sempre foi um dos maiores objetivos de Sebastião Mota de Melo, o Padrinho Sebastião, seringueiro, líder da tradição espiritual do Santo Daime e o principal incentivador desse retorno ao coração da floresta amazônica. Seu filho, Alfredo Mota de Melo, herdeiro dessa missão, segue mantendo a mesma atitude e objetivo do pai, atuando também na região do médio Juruá, buscando sempre renovar na população a auto-estima e a consciência ecológica.
O trabalho espiritual com o Santo Daime, somado às atividades sócio-ambientais da comunidade, vêm, cada vez mais, atraindo pessoas do Brasil e do mundo, num fluxo quase constante, principalmente nos meses junho/julho e dezembro/janeiro, época dos festivais, quando os ritos do Santo Daime ocorrem com maior freqüência.
Existem inúmeros centros do Santo Daime espalhados pelo Brasil e no exterior, alguns deste já completamente legalizados, e outros em processo de legalização, mas todos fazendo omesmo ritual, sempre na língua portuguesa.
A vila do Céu do Mapiá também atrai muitos pesquisadores e curiosos em busca da oportunidade de conhecer e estudar um lugar tão especial, nas profundezas da floresta amazônica.

Sentido horário: Padrinho Sebastião diate da igrejinha original, em 1985; Ritual do Santo Daime no Céu do Mapiá, e ,ao lado, o mesmo ritual em Amsterdã, Holanda - 2005

A FLORESTA NACIONAL DO PURUS

As Florestas Nacionais são uma categoria de Unidade de Conservação de Uso Sustentável instituídas com os objetivos de: promover o manejo de recursos naturais, garantir a proteção dos recursos hídricos, belezas cênicas e fomentar o desenvolvimento de pesquisa, recreação, lazer e turismo (Brasil, 2001).
No Estado do Amazonas existem 19 FLONAS, que perfazem um total de 10.406.627 hectares, o que representa 6,6% de todo o território do Estado (IBAMA, 2007). Porém a maioria não possui as condições necessárias para efetiva implantação, impossibilitando o cumprimento dos objetivos para os quais foram criadas.
A Floresta Nacional do Purus (FLONA do Purus), localizada no município de Pauiní – AM é uma unidade de conservação (UC) que abrange 256.000 hectares de florestas altamente conservados. De acordo com o plano de manejo desta UC, o manejo florestal sustentável constitui uma das atividades econômicas que mais coaduna com os objetivos da Unidade, uma vez que permite conciliar o desenvolvimento local e regional com a conservação dos recursos florestais da Unidade.
Em julho de 2007, a Associação de Moradores da Vila Céu do Mapiá (AMVCM), por meio de parceria com o IBAMA, a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), deu início à implantação do manejo florestal comunitário na Zona de Uso Comunitário da Vila Céu do Mapiá. Encontra-se em fase de planejamento a primeira Unidade de Manejo Florestal (UMF), cujo objetivo é fornecer madeira em quantidade suficiente para atender a demanda comunitária.

Floresta Nacional do Purus – AM – Brasil

Vão Livre de 38m sem coluna central

teto da igreja da floresta

No pé da obra